segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

O que chegou lá em casa... Fevereiro/2016

E aí meu povo, tudo certo com vocês??? Hoje estou aqui para mostrar tudo o que chegou aqui em casa no mês de fevereiro. Neste mês não chegaram tantas coisas assim, mas chegou muita coisa boa. Que tal conferir??? 


Estes livros eu adquiri na minha última ida ao shopping. Vida e Morte era um livro que eu queria muito e meu marido me deu. Estou lendo e assim que terminar, trago a resenha. Causos do Nêgo Véio meu marido comprou para ele mesmo, mas já que a biblioteca aqui de casa é minha hhahah postei a foto aqui. Já li o livro e já falei sobre ele AQUI . Pacto de Sangue eu comprei em um sebo que tinha pertinho do shopping. Era um livro que eu li quando criança e adorava. Reli e falei sobre ele AQUI . 

Os livros da foto recebi da Editora Arqueiro. Enquanto Bela Dormia eu já li e tem resenha aqui no blog. Os outros ainda não li. 


Esses foram livros que adquiri em uma troca aqui na biblioteca da minha cidade. Divã eu já li e adorei. Falei mais sobre ele AQUI no blog. O livro Contos é de contos do lindo, lindo, divo, divo Machado de Assis


Este era um livro que eu estava muito ansiosa para ler desde o seu lançamento. E adorei. A resenha vocês podem conferir AQUI . 


Comprei os 3 volume dos mangá Vairocana. Não sei nada sobre, mas a coleção completa estava tão barata hahhahah 


Chegaram mais alguns livros da faculdade. Ó vida cruel


Comprei mais dois gibis da Turma da Mônica em inglês. 

E por hoje é isso pessoal. Vocês já leram algum dos livros? O que receberam neste mês que está se encerrando? Me contem! 

Ahhhhh se alguém quiser me enviar presentes hahahha, ali na lateral do blog está minha caixa postal =D 

Um beijão e até a próxima!!!! 

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Enquanto Bela Dormia - Elizabeth Blackwell

E aí povo lindo, tudo bem com vocês??? Hoje estou aqui para mais uma resenha em parceria com a Editora Arqueiro. E desta vez é de uma releitura de um conto bastante conhecido. Vamos conferir??? 



Título: Enquanto Bela Dormia
Autora: Elizabeth Blackwell
Editora: Arqueiro
Páginas: 368
SKOOB
Sinopse: Nos salões de um castelo, uma confidente leal guardou por muitos anos os segredos de uma rainha linda e melancólica, uma princesa que só queria ser livre e uma mulher que sonhava com a coroa. Esta é sua história.
Ambientada em meio ao luxo e às agruras de um reino medieval, esta releitura de A Bela Adormecida consegue ser fiel ao clássico ao mesmo tempo que constrói uma narrativa recheada de elementos contemporâneos. Nessa mescla, os dramas de seus personagens – um casal infértil, uma jovem que não aceita viver em uma redoma e uma família despedaçada pela inveja – tornam-se atemporais.
Quando a rainha Lenore não consegue engravidar, recorre aos supostos poderes mágicos da tia do rei, Millicent. Com sua ajuda, nasce Rosa, uma menina linda e saudável. No entanto, a alegria logo dá lugar às sombras: o rei expulsa de suas terras a tia arrogante, que então jura se vingar. Seu ódio se torna a maldição que ameaça a vida de Rosa. Assim, a menina cresce presa entre os muros do castelo, cercada dos cuidados dos pais e de Flora, a tia bondosa e dedicada do rei que encarna a fada boa do conto original.
Mas quando todas as tentativas de proteger Rosa falham, é Elise, a dama de companhia e confidente da princesa, sua única chance de se manter viva. E é pelos olhos dessa narradora improvável que conhecemos todos os personagens, nos surpreendemos com o destino de cada um e descobrimos que, quando se guia pelo amor – a magia mais poderosa do mundo –, qualquer pessoa é capaz de criar o próprio final feliz.




Minha Opinião: Confesso que não sou muito fã desses contos de fadas produzidos pela Disney. Acho que eles mostram meninas indefesas, esperando pelos príncipes e blá,blá. Coisas com as quais eu não me identifico e não concordo. 
Mas se você pesquisar os contos antigos, eles são muito macabros, terríveis, revelam estupradores, maldições, mutilações e afins. 

Mesmo assim, sempre que sai uma nova adaptação eu vou correndo conferir. Quero saber como a história ficou na visão daquele autor ou produtor. E quando a Editora Arqueiro lançou este livro fui correndo ler. E não me arrependi nadinha. 

Enquanto Bela Dormia tem um ar sonhador e ao mesmo tempo macabro. Nele, a história é narrada em primeira pessoa, mas não pela Bela, como poderíamos imaginar. Neste livro, a história é narrada por uma ex criada do palácio, a Elise. 

Elise é uma camponesa pobre e após perder os pais, ela vai trabalhar no castelo. Lá ela acaba ganhando uma promoção e passa a ser a criada pessoal da rainha Lenore. O sonho dela é ser mãe, mas ela e o príncipe ainda não conseguiram. Então Millicent faz uma proposta a rainha. Ela passa a lhe obedecer e em troca, Lenore engravidará. Então a rainha engravida e dá a luz a Bela. 

Mas o rei não acredita nesta história toda e expulsa Millicent do castelo. No dia do batismo, ela volta. E jura que seu sobrinho se arrependerá do que lhe fez. 

Anos se passam e tudo parece bem. Até que uma guerra ameaça o reino, doenças aparecem, aliados são mortos misteriosamente e Bela... bem, vocês terão que ler para saber. 

Enquanto Bela dormia é uma releitura diferente de todas que já conheci. Ela não tem aquele ar de magia boa, mas tem aquele ar de bruxaria macabra, entende? E isso é bem interessante. Temos ainda a parte real da história: as guerras, as convenções sociais da realeza e criadagem, os abusos,... 

Como a história não é narrada pela Bela, nós não temos apenas aquela sua visão limitada de princesa. Nós temos a visão dos criados, temos mais romances, histórias que se aproximam mais da nossa realidade. 

A escrita da autora é super gostosa e o livro flui rapidamente. Embora eu tenha demorado um pouco nas primeiras páginas :P 


Apenas dois pontos que me incomodaram. O primeiro é extremamente pessoal e na verdade não tem nada a ver com o livro em si, mas sim com a época em que a história acontece. Lembrando, eu entendo as questões históricas, mas isso não significa que não me sinta incomodada. Esse amor dos criados pelos seus reis é uma coisa que me irrita. Essa coisa de botar o interesse do empregador acima do empregado é uma coisa que existe até hoje na verdade e definitivamente não tem nada a ver comigo. As convenções sociais então, nem se fala. Mulheres não podiam falar, mulheres eram abusadas, deviam casar virgem. E se um casal não consegue ter filhos, de quem é a culpa? da mulher, é lógico. Mas como eu disse, isso não foi um erro da autora. Só estou comentando. 

E o outro ponto negativo é que Elise está contando a história para sua sobrinha de 14 anos. Só que ela não poupa palavras. Ela descreve cenas mais quentes com a maior naturalidade do mundo. Sou quadrada tá? Ok, esse também é um ponto bem pessoal. Só sei que quando minha sobrinha tiver 14 anos, vou contar só histórias de beijo e olha lá hahhahahha*

O final não foi inesperado para mim, mas ainda assim foi bem bacana e fugiu um pouco do lugar comum :) 

A edição também está bem bacana. A capa é linda demais e a diagramação está bem bacana. 

E eu termino dizendo que indico o livro. Não apenas para quem gosta de releituras. Mas para todos aqueles que curtem essas histórias mais medievais, que se passam em uma realidade bem diferente da nossa. 

Então por hoje é isso pessoal. Vocês já conheciam o livro? Já leram? Ficaram curiosos? Me contem! 



Um beijão e até a próxima!!! 

*Antes que alguém diga "mas é importante dar informações" eu concordo. Mas Elise não estava falando para ela se proteger, ou algo do tipo. Com aquelas descrições, ela estava literalmente incentivando a menina a praticá-las :P 

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Caim - José Saramago

Aviso Importante: A resenha a seguir será do livro Caim, do autor José Saramago. Saramago é um autor conhecido, entre outros motivos, por suas críticas a religião e obras que ironizam algumas crenças. Saramago acreditava mais ou menos neste lema: "Leia a bíblia e perca a fé." Então se este tipo de coisa te incomoda, aconselho que você abandone esta postagem. 


Meus deuses, o que é que eu estava lendo que ainda não tinha lido Saramago? Se você que está lendo esta postagem ainda não leu suas obras, saia imediatamente daqui e vá ler agora mesmo. 

Já fazia algum tempo que eu me sentia um extraterrestre por nunca ter lido nada do autor. Então pesquisei, pesquisei, procurei por resenhas, sinopses, informações adicionais e decidi começar a ler sua obra por este livro. E não podia ter feito uma escolha melhor. Vale lembrar, que eu não tenho religião então esta foi uma obra perfeita PARA MIM. Para você, que é religioso ou que não curte crítica a religião, não sei se este livro é o mais indicado para você. 




Título: Caim
Autor: José Saramago
Páginas: 174
Skoob
Sinopse: Neste romance, o vencedor do prêmio Nobel José Saramago reconta episódios bíblicos do Velho Testamento sob o ponto de vista de Caim, que, depois de assassinar seu irmão, trava um incomum acordo com deus e parte numa jornada que o levará do jardim do Éden aos mais recônditos confins da criação.
Se, em O Evangelho segundo Jesus Cristo, José Saramago nos deu sua visão do Novo Testamento, neste Caim ele se volta aos primeiros livros da Bíblia, do Éden ao dilúvio, imprimindo ao Antigo Testamento a música e o humor refinado que marcam sua obra. Num itinerário heterodoxo, Saramago percorre cidades decadentes e estábulos, palácios de tiranos e campos de batalha, conforme o leitor acompanha uma guerra secular, e de certo modo involuntária, entre criador e criatura. No trajeto, o leitor revisitará episódios bíblicos conhecidos, mas sob uma perspectiva inteiramente diferente.Para atravessar esse caminho árido, um deus às turras com a própria administração colocará Caim, assassino do irmão Abel e primogênito de Adão e Eva, num altivo jegue, e caberá à dupla encontrar o rumo entre as armadilhas do tempo que insistem em atraí-los. A Caim, que leva a marca do senhor na testa e portanto está protegido das iniquidades do homem, resta aceitar o destino amargo e compactuar com o criador, a quem não reserva o melhor dos julgamentos. Tal como o diabo de O Evangelho, o deus que o leitor encontra aqui não é o habitual dos sermões: ao reinventar o Antigo Testamento, Saramago recria também seus principais protagonistas, dando a eles uma roupagem ao mesmo tempo complexa e irônica, cujo tom de farsa da narrativa só faz por acentuar.  

Minha Opinião: Você já leu o antigo testamento(bíblia)? Ou pelo menos Gênesis? Ou pelo menos conhece, seja pela sua mãe, sua tia, o padre? Se sua resposta for negativa, talvez este livro não faça sentido para você. Mas se a resposta for positiva, vem comigo. 

Caim é uma outra versão do livro Gênesis. Nele, nós temos a maioria dos casos ocorridos na versão bíblica, mas com outro ponto de vista. Aqui, nós encontramos o Caim - esse mesmo, filho de Adão e Eva, aquele que matou o irmão Abel - vivendo cada um daqueles primeiros fatos bíblicos. 

Caim matou seu irmão e é amaldiçoado por Deus. Então ele passa a vagar pela Terra e é assim que ele conhece Abraão, Noé, viaja por Somoda e Gomorra, dorme com Lilith, conhece a Torre de Babel... 

Mas como eu falei anteriormente, Saramago é ateu. Então ele usou seu personagem Caim para criticar todos aqueles acontecimentos. Caim viaja pelo mundo criticando, causando debates, mudando fatos que estão na bíblia. Ele conversa com Deus. E critica-o. Como poderia um Deus cometer atos tão terríveis contra seus fiéis? Como poderia compactuar com a escravidão, o sacrifício, incesto, estupro? Saramago e Caim não aceitam isso. E eu nem preciso dizer, que compartilho de suas ideias. Me senti Caim durante toda a obra. Caim, este que foi negado por cometer um homicídio. Mas quantos homens de Deus cometeram crimes muito piores? Quantos ainda cometem? 



video
Esta é a opinião de Saramago sobre a bíblia. E ele expressa tudo isto nesta obra.

Na verdade, o livro todo é uma crítica a bíblia católica. E eu preciso dizer, que EU gostei muito disso. Há pouco tempo eu li Gênesis e me senti bastante incomodada. E agora, ao ler Caim, me senti de certa forma.... na falta de uma palavra adequada... consolada. Como eu disse, pessoas religiosas podem se sentir ofendidas. Ou não. Tudo depende da forma como você analisar a obra. 

Muita gente tem medo do autor, por achar que a escrita é difícil ou por outros fatores. Então eu digo: Neste livro - só posso falar desse por enquanto - não é. Eu achei bastante simples. Mas claro que Saramago tem lá suas particularidades - e ele pode. Não há travessões em suas falas. Os parágrafos são enormes. Mas em compensação, nos deparamos com um enredo que nos faz querer ler mais e mais. Nos deparamos inclusive, com um livro engraçado e irônico em muitos momentos. 

Terminei a obra, querendo mais. Pedindo bis. E minha próxima leitura do autor, será... alguém quer fazer apostas??? O Evangelho Segundo Jesus Cristo. 

Então para terminar, eu digo que indico sim este livro. Sem dúvidas eu indico. Se você é ateu ou simplesmente não tem religião, tenho quase certeza de que irá gostar. Mas se este não for o caso, e você mesmo assim quiser ler a obra, tente ler sem preconceitos. Este é só um livro. E não é isto que vai mudar suas crenças. 

Peço desculpas, caso em algum momento tenha ofendido alguém. Mas esta é só a MINHA opinião.

Um beijão e até a próxima!!!!!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Em Busca das Borboletas - Margarida Pizarro

E aí povo, tudo bem com vocês??? 

Quem aí gosta de romance? Então que tal conferir a minha opinião sobre o livro Em Busca das Borboletas? 


Título: Em Busca das Borboletas
Autora: Margarida Pizarro
Editora: Chiado
Páginas: 444
Skoob
Sinopse: Maria Mendes, é uma luso-americana apaixonada por moda que decide mudar-se para Nova York em busca dos seus sonhos.
Inseparável das suas melhores amigas Joan e Alicia, Maria vive uma amizade com laços profundos impossíveis de ser quebrados onde as suas vidas entrelaçam-se em momentos lindos e hilariantes.
O seu mundo aparentemente perfeito e de paz é alterado quando conhece o sexy e irresistível futuro candidato a Mayor, Dale Sloan. Sem conseguirem evitar, apaixonam-se perdidamente vivendo uma intensa história de amor.
Mas as diferenças entre os seus mundos podem ameaçar a sua felicidade, manchando com dúvidas o futuro a dois que eles tanto ansiavam viver. Será que o amor vence todas as barreiras?
Um romance que nos faz entrar, ao mesmo tempo, no mundo mágico da moda e na realidade viciante da política americana.
Alegria, drama, acção, sespense, diversão, paixão e muito amor numa história mágica que nos leva a rir e a chorar.




Minha Opinião: Em busca das Borboletas conta a história de Maria, uma jovem  que enfim está conseguindo tudo o que queria na vida. Conseguiu um ótimo emprego, se mudou, vive com as duas melhores amigas, é linda... 

Até que ela conhece o Deus Grego da revista onde ela trabalha. E ele se apaixona por ela. Mas para quebrar todos os clichês, ela não está assim tão interessada. 

Ela resolve terminar com ele. Afinal, ela não quer magoá-lo. E nas andanças da vida, ela conhece Dale. Lindo, rico, poderoso, divertido. Agora vamos adicionar uma tonelada de clichê. Dale se apaixona por Maria. E Maria também se vê perdidamente apaixonada pelo rapaz. Mas ela tem medo de ser magoada. Afinal, Dale é irresistível, mas suas amigas a alertam que ele sempre gostou de partir corações pelo caminho. 




E agora? Maria voltará com o Deus Grego? Ou ficará com Dale? Vale a pena abrir mão da felicidade por medo de sair magoado? 

Em Busca das Borboletas é um livro que vai encantar aqueles que gostam de romances fofos, divertidos, leves e que fazem sonhar. Não é uma história profunda, mesmo assim, as vezes é tão bom simplesmente curtir um romance não é mesmo? 

Sem falar que outro ponto positivo do livro é a amizade entre a Maria e suas duas melhores amigas. É muito bacana ver o que um laço tão forte assim é capaz de fazer. 



Mas nem tudo são borboletas. O livro é escrito em português de Portugal, então isso pode ser bem incômodo, principalmente no começo. Achei o livro imenso e não acho que havia história para tanto. Inclusive, o livro tem continuação, mas não vejo mais história para Maria. Na maior parte do tempo, a história é muito doce, todo mundo é muito delicado e tudo o mais. E particularmente falando, eu não me identifico com isso. Mas essa é uma opinião bem pessoal. E falta um pouco de sororidade também. Maria é um amor com suas amigas. Mas com as outras mulheres..... vamos competir pelo melhor homem. Outro ponto negativo para mim, é que há muitas descrições das roupas que os personagens usam. Marcas, estilista e afins. É compreensível, já que a narradora trabalha com moda. Mas para mim, isso ficou chato. Para quem curte, pode ser bacana. 

Esta é a segunda edição do livro e a Editora Chiado fez um trabalho bem bacana. A capa é linda e combina muito bem com o livro. As páginas são amareladas e a diagramação está muito confortável para leitura. 

Então para encerrar esta postagem, eu digo que indico sim, para quem gosta deste tipo de romance. Adquira o livro e se divirta. 



Um beijão e até a próxima!!!!!! 

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Tag Preferências Literárias

E aí meu povo lindo, tudo bem com vocês??? Que tal uma tag??? 

A tag de hoje se chama Preferências Literárias e foi criada pela Bianca, do blog Lendo com a Bianca e pela Renata do blog Who's that girl?. E quem me indicou foi a Tami do blog Meu Epílogo. Vamos conferir???

1- Qual seu gênero literário favorito?
Eu sou uma leitora de fases, confesso. Já tive a fase dos romances românticos, dos romances policiais, das distopias, dos romances juvenis, dos quadrinhos, enfim. Ultimamente ando na fase dos clássicos. Eu sei, eu sei. Clássico não é gênero literário, mas vou roubar na resposta e daí? 

2- Como você descobriu esse gênero?
Na escola hahhahah. Bendita a hora que uma professora de nome Alma nos obrigou a ler alguns clássicos. Te amo eternamente Alma.

3- Vocês costuma ler livros só desse gênero ou procura ler outros também?
Como eu sou uma leitora de fases, é claro que eu viajo pelos mais variados gêneros e estilos. E mesmo quando estou em uma determinada fase, eu me aventuro por outros gêneros sim. Tipo, mesmo estando nesta fase de clássicos, ando lendo muitos livros contemporâneos dos mais variados tipos. 

4- Cite um personagem favorito que faça parte desse gênero literário.
Até então meu personagem favorito era Heatcliffe do clássico O Morro dos Ventos Uivantes. Mas depois que li Senhora, a Aurélia Camargo ganhou meu coração. Então vou citar esses dois. Roubei sim, algum problema? 

5- Cite o seu autor favorito do gênero. 
Machado de Assis. Sem mais.

6- Você escreve? Se sim, se sente mais confortável escrevendo seu gênero favorito ou vai para todos os lados?
Os Sonhos de Rita poderia virar um clássico daqui alguns anos, não poderia???? hahahhahah 
Então.... até então, meus livros publicados são apenas romances e em breve estarei publicando um infanto juvenil - mas que também tem romance. Choraaaaaaaaa. 
Mas escrevo crônicas e contos também.

7- Qual o gênero literário que você menos gosta? 
Romance erótico. Alguém duvidava da resposta???? hahahha 
Também não curto NA. 

8- O que não te atrai neste gênero? 
O que os dois gêneros que citei possuem em comum???? Pense um pouquinho... é fácil. 
Pois é!

Então é isso pessoal. A tag é bem curtinha, mas eu achei bem bacana. 

E você? Qual seu gênero favorito? O que você menos gosta??? 

Um  beijão e até a próxima!!!! 

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Lidos, mas não resenhados #4

E aí meu povo, tudo bem com vocês??? Como estão as coisas por aí??? Aqui está tudo indo hahahha. 

Bem, hoje estou aqui para mais uma postagem desta coluna que me ajuda muito. Curiosos para conhecerem quais os últimos livros que li, mas não resenharei? 

Vamos lá? 


Pseudopoesia - Alves Rosa 
Já tá virando rotina colocar um livro de poesia aqui nesta coluna. Como já disse um zilhão de vezes, eu realmente não curto o estilo. Acho que eu sou muito ogra para essas coisas e não tenho a sensibilidade necessária para ser tocada por esse estilo. 
Mas curti a obra, ainda assim. Alguns poemas realmente chamaram a minha atenção. Teve um em especial "Funeral" que eu realmente curti bastante. Mas não sei o que falar dele. Só é possível sentir, não explicar... 


Causos do Nêgo Véio - Neto Fagundes
Quem acompanha o blog há tempos já sabe: meu marido não lê. Ou melhor, não lia. Nos últimos tempos, ele tem se aventurado bastante em algumas páginas e isso me faz muito feliz. 
Claro que ele é super cricri e chato para o que vai ler, mas né? Melhor do que não ler hahahha 
E em uma das nossas andanças pelo shopping, ele viu este livro e decidiu que queria comprar. Afinal é de um cara que tem um programa e que ele admira e pá pum. Pronto, comprou o livro. 
E eu não posso ver um livro ali que eu preciso ler. E lá fui eu me aventurar nos causos do Nêgo Véio. Alguns são bem engraçados, mas alguns são umas piadinhas prontas e sem graças e outras até preconceituosas. 
Outro ponto do livro é que a linguagem é bem gauchesca então quem não é do Sul, pode estranhar bastante. Nem eu conhecia todos os termos. 
Mas apesar disso, vale a leitura do livro. Alguns causos vão te fazer rir, alguns vão te ensinar coisas sobre os gaúchos e alguns inevitavelmente vão te deixar bravo. 



Divã - Martha Medeiros
Eu já conhecia um pouco da história, pois acompanhava a série. Mas não conhecia o livro e nem o filme. 
O livro é ótimo. Tocante, inspirador, reflexivo, engraçado, libertador, feminista, .... enfim. São tantos elogios que se eu começar a citar todos, não saio daqui hahahha. Divã é a história de uma mulher que está fazendo terapia. E suas descobertas, acabam fazendo com que o leitor também se encontre.
Apesar de ter apenas 22 anos ( e a Mercedes ter mais de 40), não ter filhos (enquanto ela tem alguns) e só ter 4 anos de casada (e ela uns 20) me identifiquei bastante com ela. Com a sua força em alguns momentos e com a sua fraqueza em outros que pareciam tão simples.  
Depois que li, fui correndo ver o filme. É bom também, mas não chega aos pés do livro. 
"Tenho uma vontade imensa de chorar. chorar pelo que houve de bom entre nós, e pelo que houve de eterno. Chorar pelos olhares telepáticos que trocávamos, pelas mãos dadas no cinema, pelas imitações que ele fazia de mim e eu odiava, mas que era um sinal de que ele ainda me via. Chorar pelo primeiro beijo, na beira da praia, e pelo último, que talvez ainda não tenha sido dado.  Chorar porque não o amo mais, ele tampouco a mim, dois adultos que decidiram seus destinos sem facadas, sem tiros e sem vulgaridade, chorar por essa sensatez, esse racionalismo, essas cicatrizes que ficam mesmo assim, chorar pelo instante em que os dois, juntos, desligam-se da tomada e tudo fica escuro. "



Moby Dick, a fera do mar - Herman Melville (adaptado)
Eu sempre fui contra adaptações. Sempre achei que o livro deve ser lido em sua forma original. E na verdade ainda acho. Mas agora, não sou mais contra. Acho sim, que as adaptações ajudam a formar leitores. Então qual o problema de utilizá-las? Mas descobri que eu não sirvo mais para isso. Que com toda a bagagem literária que carrego, as adaptações não me satisfazem. Cheguei a esta conclusão, após descobrir que dos últimos clássicos que li, odiei os livros adaptados, mas amei os originais. 
E com este não foi diferente. 
A história não rendeu, achei chata, cansativa, irritante. 
Mas é claro que irei ler a obra completa para tirar uma conclusão. 
Então eu digo, adaptações podem ser legais para quem está começando a gostar de ler. E são legais para apresentar um clássico. Mas nada supera o brilho de um original. 




Créduspulo - Jeferson Rodrigo 
Uma coisa que eu odeio é humor barato. Aquele humor babaca, com piadinhas sexuais, com piadas muito mal contadas. E tem algo mais neste estilo do que paródias? Pois é. 
Acontece que eu gosto de paródias. 
Não faz sentido, eu sei. 
Mas quando vou ler, ou ver uma paródia, eu sei que provavelmente só vou encontrar babaquice. Então eu toco o foda-se e dou risada sim. 
E com Créduspulo não foi diferente. 
A história segue bem o roteiro de Crepúsculo. E há várias referências a outras histórias atuais, algo que eu curto bastante neste tipo de enredo. O livro é engraçado, lógico. Mas não é humor inteligente, longe disso. É humor barato. Dos mais baratos. Só que de vez em quando, até eu posso me dar o luxo de ler algo do tipo :) . O livro está disponível na Amazon.


Theo e a Maldição das cores
Este é um lançamento recente da autora Anaté Merger. O livro é voltado para um público bem jovenzinho, mas é uma fantasia super bacana com uma bela mensagem para adultos e crianças. O livro é muito bem escrito, tem muitas passagens bacanas e engraçadas e eu terminei o livro morrendo de vontade de ler outras obras da autora. 
A única coisa que me incomodou durante a leitura é a passagem de tempo. Theo faz uma viagem e a cada capítulo se passa um ano. E isso, eu acabei achando que ficou bem estranho. Mas é mais uma opinião pessoal do que qualquer outra coisa. 
" - Esqueça essa menina, ela não faz parte do seu presente. Por que tanta curiosidade? 
- Porque gostaria que ela fizesse parte do meu futuro. " 
"- O que devo fazer? 
- Resolver o seu passado só assim poderá seguir no seu futuro."


E estes foram os últimos livros lidos. Como vocês podem ver - quem acompanha o blog já sabe disso - meu gosto literário é bem variado. E o seu? Você lê de tudo que aparece na sua frente? Ou prefere seguir um só estilo? Já leu algum dos livros citados? Me conte!!!! 

Um beijão e até a próxima!!!! 

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Quem aí gosta de filmes? #6 Especial De Volta para o Futuro

E aí meu povo, tudo bem com vocês??? Hoje estou aqui para fazer um "Quem aí gosta de filmes?" especial. O primeiro especial foi da série O Exterminador do Futuro e desta vez é da clássica trilogia De Volta Para o Futuro. 

Essa trilogia voltou com tudo no ano passado, já que 2015 foi o ano em que McFly e Dc. Brown viajam no segundo filme. 


Eu era doida por ver estes filmes e confesso que gostei bastante. Achei que não iria gostar tanto assim, mas me enganei. Os filmes são ótimos. E vou falar um pouquinho sobre cada um deles. 



De volta para o futuro
Sinopse: Um jovem aciona acidentalmente uma máquina do tempo construída por um cientista em um Delorean, retornando aos anos 50. Lá conhece sua mãe, antes ainda do casamento com seu pai, que fica apaixonada por ele. Tal paixão põe em risco sua própria existência, pois alteraria todo o futuro, forçando-o a servir de cupido entre seus pais. 
Minha Opinião: Sem dúvidas, o melhor da trilogia. O universo ainda é novo, tudo é novidade e somos surpreendidos em cada cena. O filme é divertido, inteligente, louco. E os efeitos especiais, para a época são ótimos. Sem dúvidas, um filme que eu recomendo para a família inteira. 


De volta para o futuro 2
Sinopse: O cientista Doc Brown leva Marty e sua namorada para o ano 2015, com a finalidade de resolver uma questão familiar no futuro deles. Mas Biff, velho inimigo da família, obriga-os a correrem contra o tempo (literalmente falando) para não alterarem os acontecimentos. 
Minha Opinião: O mais fraquinho da franquia. Enquanto no primeiro, os personagens viajaram para o passado então tudo é real, neste eles vão para o futuro e acabam encontrando uma realidade bem diferente da nossa. Mas quem é que poderia saber que no nosso futuro, em 2015 não teríamos carros voadores? Ou skates flutuantes? Será que os produtores realmente imaginavam que chegaríamos a isso? 
Mas lá pelas tantas, eles voltam a viajar pelo passado conhecido e o filme começa a ficar mais bacana. 
Como eu disse, não é melhor da trilogia, mas vale a pena conferir, para acompanhar toda a jornada de Marty e do Doc Brown. 


De volta para o futuro 3
Sinopse: Após receber uma carta de Doc datada de 1885, Marty McFly decide viajar para o Velho Oeste, no dia 2 de setembro do mesmo ano. Lá ele descobre que o doutor está fugindo de uma gangue de bandidos e se apaixonou por uma professora da época. Agora, Marty tem apenas cinco dias para salvar a si e aos seus amigos e voltar para o futuro. 
Minha opinião: Ele não tem o mesmo brilho do primeiro, mas com certeza é um filme que vale a pena. Ele é engraçado, tem até um paranaue de suspense e tal. Para mim, o único problema foi o final. Mas a saga deveria acabar de alguma forma, não deveria? E esta foi a forma que os produtores acharam possível. Não foi a melhor escolha em minha opinião, mas ainda assim, não estraga o filme como um todo. 

EXTRA

Animação                
Fiquei sabendo desta animação por acaso, lá no site Filmow. Ela se passa depois dos filmes e conta como ficou a vida dos nossos amados personagens. Em minha humilde opinião, nem pode ser comparada aos filmes. 
Mas para os fãs, vale a pena conferir. Eu assisti alguns episódios, mas não curti muito, então abandonei e resolvi voltar a ver minhas velhas animações hahahha. 

* Há os livros também, mas eles são super difíceis de encontrar. Então se alguém achar por aí, pode me enviar hahahhah. Ali na lateral do blog, tem minha caixa postal. 

Vocês já conheciam a trilogia? Já assistiriam aos filmes? 

Se você é fã de cinema e respondeu não às perguntas, é hora de mudar esta situação. Mesmo que você não curta a história o que eu acho difícil, acho de extrema importância conhecer estes clássicos do cinema. Então vá direto conhecer esses filmes. 

Se você curtiu a postagem, compartilhe com os seus amigos. 

Um beijão e até a próxima!!! 


sábado, 20 de fevereiro de 2016

1º Aniversário do blog Meu Epílogo

E aí povo do meu coração, tudo bem com vocês??? 

Uma das coisas mais legais da blogsfera e de todos os lugares é fazer amigos. Conhecer aqueles blogueiros que nós passamos a admirar, a acompanhar, que possuem gostos semelhantes aos nossos ou não, afinal o importante é compartilhar opiniões. 

E nestas andanças de blogsfera pela vida, tive a oportunidade de conhecer gente muito bacana. E uma destas pessoas é a Tami, do blog Meu Epílogo

Então quando fui convidada a participar desta festa de aniversário do blog é claro que eu topei na hora. E agora convido vocês a participarem desta comemoração. 

O sorteio está tão bacana que até eu queria concorrer. Choraaaaa 

Então participem e boa sorte a todos. 



REGULAMENTO
* As inscrições para o sorteio terão início dia 16/02/2016 e terminarão às 23:59 do dia 16/03/2016. *Os participantes devem ter endereço de entrega válido em território nacional.
*Os participantes devem preencher todas as regras obrigatórias do formulário Rafflecopter. Quando todas as regras obrigatórias forem preenchidas, o formulário Rafflecopter irá abrir as regras opcionais, ou seja, você preenche se quiser e quantas quiser. Mas é bom lembrar que quanto mais opções você preencher, mais vezes seu nome entrará no sorteio e mais chances você terá de ganhar! ;) *O sorteio será realizado no dia 17/03/2016 e os vencedores serão anunciados em até cinco dias úteis. *Os vencedores terão 48 horas para responder o email de contato. Se não houver resposta, outro sorteio será realizado.
*Cada blogueiro e autor terão até 45 dias úteis para enviar o seu respectivo prêmio aos ganhadores. *Os participantes ficam cientes, no momento da inscrição, que os prêmios serão enviados por pessoas diferentes e em dias diferentes. Sendo assim, o recebimento de todos os prêmios não será no mesmo dia, e sim ao longo dos 45 dias úteis estipulados acima.
*Os blogueiros e autores não se responsabilizam por extravios, danos e perdas por parte dos Correios.


a Rafflecopter giveaway



a Rafflecopter giveaway

Então é isso pessoal. Um beijão e até a próxima!!!!! 


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Senhora - José de Alencar

E aí meu povo, tudo bem com vocês??? Hoje estou aqui para falar de um grande clássico.
Acho que quase todo mundo aqui já leu ou pelo menos conhece a história, mesmo assim resolvi resenhar o livro, por que realmente gostei dele e acho que todo mundo que ainda não leu, deveria ler. 
E há tantas edições que com certeza uma delas, cabe no seu bolso. A versão que li está disponível na Amazon por menos de 3,00 (e-book). 

Vamos conferir??? 

Dados sobre esta edição
Título: Senhora 
Autor: José de Alencar 
Páginas: 336
Compre na Amazon
Sinopse: Narrativa dividida em quatro partes, a obra conta a história do casamento entre Aurélia, moça pobre e órfã que se acaba se tornando herdeira de grande fortuna, e Fernando Seixas, frequentador dos altos círculos da corte, mas incapaz de manter financeiramente sua vida luxuosa. Apaixonada por Seixas em seus dias de pobreza, Aurélia é trocada pelo amado por uma moça com um dote de trinta contos de réis. Em uma das reviravoltas do enredo, Aurélia acaba herdeira de grande fortuna, e atrai Seixas de volta para si, anonimamente, em troca de uma quantia três vezes maior. Na noite de núpcias, ela revela seu expediente e a partir de então, a relação dos dois se torna um jogo mordaz de intrigas, manobras sigilosas e diálogos ácidos e repletos de subentendidos.


Minha Opinião: Vamos começar esta resenha com uma confissão. Eu realmente gosto dos clássicos. Mas sempre fico com uma preguiça na hora de começar um novo. Eu sei, eu sei. Isso é muito feio. Mas é assim que é. Então esta era uma leitura que eu estava sempre adiando. Até que a situação se tornou insustentável. Como poderia, eu, Gislaine Oliveira, defensora das mulheres fortes na literatura, não conhecer Aurélia Camargo? Então resolvi que precisava ler este livro. Mas roubei. Confesso. Estou confessando todos os meus crimes hoje. Primeiramente, li esta adaptação ao lado. Que por sinal, é horrível, mas bem feito para mim. 


Senhora conta a história de Aurélia, uma jovem pobre que se apaixona por Seixas. Seixas é um crápula que só pensa em dinheiro. Ele até promete se casar com a moça, mas assim que consegue um casamento com um bom dote, ele abandona a moça. 

Aurélia não sabe o motivo para que ele tenha desistido do casamento. Ela acredita apenas que ele deixou de amá-la. Ela então descobre os motivos e resolve se vingar. Afinal, ela é capaz de aceitar ser trocada por amor. Mas não aceita ser trocada por dinheiro. É vingança o que ela quer. 

Mas como uma pobre moça, solteira e órfã poderá se vingar? 

Então a sorte lhe sorri. Ela recebe uma grande herança e resolve comprar o marido dos seus sonhos: Seixas. Na noite de núpcias, é claro que ela humilha seu amado.

"Entremos na realidade por mais triste que ela seja; e resigne-se cada um ao que é, eu, uma mulher traída; o senhor, um homem vendido. "

                             
Trecho da novela "Essas Mulheres" 

E assim que a nossa história começa. Aurélia ama Seixas, isso é notável. Mas ela é orgulhosa. E quem neste caso, não seria? Embora o ame, ela faz de tudo para desprezá-lo. Seixas não a ama. Estou convencida disso. Mas confesso que em muitos momentos, sou também enganada por ele. 



O enredo pode até parecer bobinho ou clichê. Mas não é. Seu desenvolvimento é tão bem construído, seus personagens tão marcantes, que seria muito injusto, defini-lo como clichê. Já comentei que não curto romances históricos. Mas apenas por que não aceito essas mocinhas bobas, que querem casamento, casa, comida e marido. Aurélia não é assim. Ou talvez fosse. Mas as situações, fizeram com que ela se tornasse esta mulher forte e decidida. 

" - Prove desta lagosta. Está deliciosa; insistiu Aurélia. 
- Ordena? perguntou Fernando prazenteiro, mas com uma inflexão particular na voz. 
Aurélia trinou uma risada. 
- Não sabia que as mulheres tinham direito de dar ordens aos maridos. Em todo caso eu não usaria do meu poder para coisas tão insignificantes. 
- Mostra que é generosa. 
- As aparências enganam. " 

É bem verdade, que o desfecho é bastante conservador e não me agrada de todo. Ainda assim, Senhora é um romance que choca muitas pessoas. Que exemplo de mulher ousada é este? Um bom exemplo. Quero mais mulheres assim. Amar não é um pecado. Não é erro. Não é sinal de fraqueza. Fraqueza é aceitar as coisas erradas, é aceitar ser pisoteada. Já dizia Rita (Os Sonhos de Rita - Um conto de natal) "O amor nos torna fortes". E orgulho, cá entre nós, às vezes é o que nos mantém em pé. 

Senhora é um clássico amado por muitos. Mas se todos conhecessem, ele seria ainda mais amado. É bem verdade que sua narrativa pode assustar leitores menos experientes. Mas esse é o tipo de história, que merece uma narrativa mais rebuscada. Tanto que amei o original e detestei a adaptação. Para mim, clássico deve ser lido em sua forma original. Nada contra adaptações. Acho até que elas ajudam a atrair mais leitores. Mas nada como ler o livro, em sua forma criada pelo autor. 

"E o mundo é assim feito; que foi o fulgor satânico da beleza dessa mulher, a sua maior sedução. Na acerba veemência da alma revolta, pressentiam-se abismos de paixão; e entrevia-se que procelas de volúpia havia de ter o amor da virgem bacante. "

Eu espero, de verdade, que quem ainda não leu este livro, dê logo um jeito de mudar esta situação. Tenho certeza, de que você irá curtir a história. E deixará de achar que clássicos são livros chatos, sem amor, sem paixão. E como eu disse, há tantas versões do livro, de tantas editoras, com os mais variados valores. Inclusive, o livro está em domínio público. Então falta de grana não é motivo para deixar de ler esta obra tão maravilhosa. 

O livro também teve sua adaptação para a novela "Essas Mulheres". Ainda não vi, apenas uns trechos. Mas parece muito boa. 

E por hoje é isso pessoal. Quem aqui já leu? Quem aqui está correndo adquirir seu exemplar (físico ou e-book)? Me contem! Um beijão e até a próxima!!!! 

Se você gostou da resenha, compartilhe com os seu amigos =D

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Registro de um original na Biblioteca Nacional

Oiii povo, tudo bem com vocês??? 

Quanto tempo faz que eu não apareço aqui com dicas para novos autores??? Pois é. Mas aqui estou. 

Recebo vários e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre o registro de direitos autorais. E no último final de semana, uma amiga que está se aventurando na estrada da escrita - vai fundo garota - me pediu ajuda. Dei todas as informações necessárias. E então ela me disse: "Você deveria fazer uma publicação lá no PE" e eu disse, claro, preciso fazer mesmo. 

Mas então fiquei pensando: "Será possível que eu não pensei nos meus leitores antes?" e eu tinha pensado galera. Fui procurar e já havia postado aqui sobre isso com todo o passo a passo. Só que tinha esquecido disso :( 

Fui olhar a postagem e era mesmo muito útil. Mas alguns links da BN já mudaram. Então para a construção deste post, peguei todas as informações anteriores e só atualizei o necessário. Espero de coração que essa postagem ajude vocês. 

Registrar um livro pode parecer um bicho de sete cabeças na primeira vez. Mas é bem tranquilo galerinha. Então me acompanhem, afinal este registro é mega importante.  

Perguntas e respostas
  1. O que é esse registro de direitos autorais? É um registro que garante os direitos autorais do autor sobre a obra.
  2. Quando devo fazer? Após terminar de escrever o livro, corrigi-lo e passar para os seus leitores betas (se eles forem de confiança).
  3. Sou obrigado a fazer isso? Não gente, não é ninguém é obrigado a nada. Mas se você não quiser ser plagiado (sim, há pessoas mal intencionadas nesse mundo) , eu posso assegurar que esse registro é muito importante. Além de que a maioria das editoras só aceita livros com o registro na BN.
  4. Ele garante que eu não vou ser plagiado? Infelizmente o plágio pode acontecer sempre. Mas com esse registro, se o plágio ocorrer, você consegue entrar na justiça e pedir indenização conseguir é outra história, mas enfim.
  5. Corro risco da Biblioteca "roubar" meu livro e minha ideia? Não gente. Não há. Mas se você quiser (e eu aconselho a fazer isso, porque vai que os documentos se percam ou qualquer desgraça possível que possa acontecer com pessoas azaradas como eu) , mande o livro por e-mail para você mesmo. Ali consta dia, hora e tudo mais e acaba sendo uma prova de que o livro é seu. E é uma cópia. Por favor, não exclua seu arquivo do computador após enviar para a BN;
  6. Posso registrar uma ideia? Não, não pode. Se você teve uma ideia maravilhosa e está pensando em registrar, pode esquecer. Até porque uma mesma ideia, pode dar mil livros diferentes. Desenvolva sua ideia, escreva, corrija e então registre.
  7. É caro? Não! E acredite, vale a pena. O registro está custando 20,00. Você terá outros gastos com impressões e correio, mas acredito que não vá gastar mais do que 50,00 e vale muito a pena;
  8. Demora? A biblioteca pede 90 dias a partir da data que o livro chegou lá. Então some mais o tempo para os documentos chegarem e para voltarem.
  9. Isso me dá número de ISBN? Não. O ISBN é outra coisa (falo sobre isso em outro post). Esse registro na Biblioteca é feito no escritório de direitos autorais e é como uma certidão de nascimento do seu livro.
E então, como fazer?
  • Depois de escrever o livro, corrigir e tudo mais, imprima todo o livro. Não tem padrão, mas procure utilizar tamanho 12, letra Times ou Arial. Margem comum. E pode imprimir no modo rascunho que é mais econômico (não precisa encadernar e nem grampear);
  • Rubrique todas as páginas (não precisa registrar firma em cartório, é só rubricar mesmo);
  • A capa (sem desenhos, sem nada, é apenas com o título do livro) e com os dados pessoais. Nome completo do autor (não pseudônimo), CPF, RG; 
  • Tire xerox do RG, CPF, Comprovante de residencia. 
  • Imprima a ficha de requerimento para registro (Clique Aqui) e preencha a mão. 
  • Clique Aqui, preencha com seus dados. Imprima a taxa (GRU) e efetue o pagamento;
  • Se você mora no Rio, pode ir pessoalmente levar seu livro e seus documentos lá; 
  • Se você mora longe, pode enviar pelo correio (não precisa ser sedex, pode ser carta registrada ou módico que é mais barato). Peça comprovante de envio (AR). Depois de um pouco mais de 90 dias, o comprovante vem. 
Esse é o endereço

Rio de Janeiro - RJ (SEDE)
Escritório de Direitos Autorais
Rua da Imprensa, 16/12º andar - sala 1205
Castelo - Rio de Janeiro - 20030-120


E então por hoje é só pessoal. Espero ter esclarecido as dúvidas. Qualquer coisa, só deixar a sua pergunta aqui nos comentários ou mesmo me enviar por e-mail: profissaoescritor@gmail.com que eu vou tentar ajudar. Beijooos, fui.

Se esta postagem foi útil para você compartilhe com os seus amigos.

Ps: O modo de registro da BN irá mudar, mas não há prazo estabelecido. A mudança deveria ter ocorrido em outubro de 2014, mas até agora nada. Então enquanto isso, a forma para registrar seus livros é através do passo a passo acima.