quinta-feira, 23 de julho de 2015

O problema de ser Ana



"Para quem já leu Os Sonhos de Rita, o título desta postagem pode não ser tão estranho. Mas para quem ainda não leu ou não entendeu a que me refiro, vou explicar.
Ana é uma das personagens do meu livro. Para evitar spoilers, vou tentar situar vocês, sem contar a história.

Ana é uma menina que em determinado ponto da história, fica com uma pessoa que não a ama. Mas como ela o ama demais, ela aceita tudo o que vier.

' - Eu posso amar por nós dois. - disse a menina chorando. 
- Não. Você não pode. '

Acho que não é necessário dizer que Ana foi inspirada em uma pessoa real não é mesmo? Afinal, existem milhares e milhares de Anas por aí.

Para mim, teria sido bastante difícil escrever Ana em primeira pessoa, já que eu não tenho semelhanças com ela. Mas eu já fui amiga, namorada, irmã e prima de Ana, o que me permite ao menos, descrevê-la convincentemente em terceira pessoa.

Ana acredita que o seu problema é ... (sem spoilers por favor, heheh). Mas não é. Seu problema é ela mesmo. O problema de Ana é aceitar um amor pela metade e as vezes nem isso. É aceitar a promessa de um talvez. Mendigar por um afeto que nunca poderá existir.

É claro que é preciso entender a vida que a Ana teve. Talvez ela não tenha tido muita sorte. Talvez tenha enfrentado mais problemas do que podia suportar. Mas é justamente por isso Ana, que você merece o maior amor do mundo. Você já não acha que sofreu demais para se meter numa destas? Eu sei que tudo o que você quer é um cantinho para ser feliz. Mas acredite em mim, o canto não é esse. Aí você vai dizer: Você teve sorte. É fácil falar. É eu tive um pouquinho de sorte mesmo. Depois de ter um bocado de azar.

A verdade é que amor não se pede, não se implora, não se obriga. Amor é dado de graça, sem sentido, sem explicação. E se não for assim não tem graça. Se for para ter um amor implorando, é melhor que não tenha amor algum.

É claro que quando a gente ama uma pessoa, a gente acaba aguentando algumas coisinhas. Aguenta aquela mania de deixar o casaco no sofá, de dormir olhando filme, de ter seus momentos de crise. Mas o que a gente não pode aguentar é a falta de amor.

E não pense que o amor vai surgir para ele, como um milagre. Foi como um amigo muito sábio escreveu uma vez: Você encontrou o amor com ele, mas ele não encontrou o amor com você.

Não aceite essa promessa. Essa esperança. Deixe de ser Ana. É difícil amar uma pessoa que não se ama, que aceita tudo o que vier, que implora algo que nunca poderá ter.

Antes de tentar fazer alguém te amar, antes de tentar fazer alguém feliz; se ame. E faça você mesma feliz. "

" - Você sabe que ela nunca poderá te fazer feliz, não sabe? - perguntei já sabendo a resposta.
- Sei. - ele respondeu. 
- E então...? - continuei. 
- Pelo menos ela vai tentar. " Diálogo que não está no livro, mas faria todo sentido se estivesse. 


Então por hoje é só pessoal. Estava pensando sobre isso faz um bom tempo desde que a Ana surgiu. E aqui está o resultado. Alguém conhece alguma Ana? Alguém já foi Ana? Comentem aí!

17 comentários:

  1. Oie,
    acho que todo mundo conhece uma Ana na vida.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Já conheci algumas Anas e a a situação é um tanto complicada. A pessoa parece que fica cega.
    A sua personagem ilustrou essa situação perfeitamente no livro, Gih.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de julho. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  3. Já ouvi muitas histórias de Ana, mas a minha esperança é que ela melhore sempre.
    Fiquei curiosa sobre o livro agora rsrs
    Abraços Mika
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele está baratinho Mika, hehhehehe
      Beijoooos

      Excluir
  4. Tantas Anas por aí sem promessa de mudança...
    Espero em breve poder conhecer a sua Ana no livro!
    BeiJU!

    Paixão de Leitora | Fanpage

    ResponderExcluir
  5. Oi Gih!
    Sabe que quando eu li o livro fiquei com muita pena da Ana. Nunca devemos implorar por amor, jamais, pois em troca teremos tudo...menos o amor.
    Acho que já fui uma Ana no passado e isso só me trouxe sofrimento, mas a partir do momento em que comecei a me amar e a me valorizar as coisas simplesmente fluiram. Se estou bem comigo mesma vou atrair coisas boas e, consequentemente, pessoas boas :)
    Acho que é por ai rs.
    Beijos!

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho pena da Ana as vezes, mas.... é complicado :P
      Beijooos

      Excluir
  6. Eu já fiz papel de Ana :/
    gosto nem de lembrar
    mas o bom é que fica a lição né
    pra não repetir

    Mil beijocas
    ⋙ ♥ Blog Livros com café

    ResponderExcluir
  7. Olá Gih!
    Nem preciso dizer que simplesmente amei esse post.
    Eu dei muita sorte no amor, acho eu. Eu nunca fui Ana, mas já fiz algumas pessoas serem, ou quase, porque eu tinha deixado claro que não queria nada com elas.
    Mas uma coisa que você disse é verdade: deve-se aprender a se amar primeiro!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então somos duas fazedoras de Anas, kkkkk
      Beijooos

      Excluir
  8. Oi, Gih.
    Eu conheço varias Anas por ai. Estou cansada de ver pessoas que se entregam assim, mesmo sabendo que não é recíproco. Acho isso falta de amor próprio. A vida a dois é feita de abrir mão de algumas coisas em favor do outro, mas nunca abrir mão do principal que é o amor.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  9. É preciso ter muito amor-próprio para não ser Ana. Mas é compreensível, o ser humano quer ser se sentir amado mesmo que de forma ilusória.
    Essa postagem está me fazendo refletir sobre meus próprios relacionamentos. Eu já fui Ana, mas eu não quero ser Ana.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Oi Gih, o amor é tão nobre pra se ficar mendigando não é mesmo? o Caio Augusto Leite diz, que ´"só se ama a dois, amar sozinho é tristeza". É isso sabe, tem que ser reciproco.

    Excelente reflexão Gih, bjs!

    Ótima semana!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Gih,
    Gostei muito do seu post hoje. Ainda não consegui ler seu livro ele esta na fila. Muito sábio esses conhecimentos que você descreveu sobre o amor, o problema e que muitas pessoas ainda confundem o amor com a posse. E pior ainda existem as pessoas que aceitam isso, como você mesma disse. Acho que todos já foram Ana em algum momento da vida mas crescer amadurecer e aprender com isso e o que vale a pena.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Gih.

    Difícil estar na pele da Ana. Compreendo a sensação horrível que deve ser amar alguém imensamente mas não ter esse sentimento correspondido. Trágico, para não falar coisa pior! Sempre se conhece uma Ana! Se você não é com toda certeza há alguém bem próximo que é uma Ana da vida. O jeito é amar a si próprio em primeiro lugar! ;)
    Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderExcluir