quinta-feira, 30 de abril de 2015

Uma promessa no avião


Estou sentado no avião. Estamos quase chegando ao nosso destino. É quando de repente, a aeromoça avisa que vamos pousar.
Fico ansioso. Estes sempre são os momentos mais angustiantes da minha vida. Estes e quando minha sogra decide nos visitar.
Pouco antes do pouso, percebo que o avião está descontrolado. Olho para as pessoas ao redor e noto que algumas parecem tão perturbadas quanto eu, mas outras continuam dormindo como se nada estivesse acontecendo. Estão completamente alheias ao fato de que aquela pode ser a última viagem, antes da grande passagem.
Ao olhar para os lados, percebo uma mãe fazendo carinho no filho com uma calma que não combina com o momento. Pergunto-me se ela está apenas agindo como uma mãe deveria agir, dando consolo para o filho, ou se ela ainda não percebeu a gravidade da situação.
Olho para frente buscando a aeromoça. Quando ela nos avisará sobre as dificuldades para o pouso? Ou será que nos deixará na ignorância? Talvez a ignorância nestas horas, não seja tão ruim afinal.
Sento calado, cruzo as pernas, os braços e as mãos. Deve ser um pouco tarde para começar a rezar. Mas se ainda houver uma chance, eu já comecei: “ pai nosso que tirais os pecados, virgem mãe do céu” apelo para todos os santos protetores. Não parece estar adiantando. O avião parece estar mais descontrolado do que antes.
Esta é então a hora de começar a pensar na minha vida. Fico esperando o filme começar a passar na minha cabeça, mas isso não acontece. Então eu mesmo, faço isso. Penso em quantas vezes briguei com a minha esposa, nas chineladas que dei nos pequenos, nas malandragens que fiz para ganhar os jogos de carta, no dinheiro que perdi em apostas afundadas.
Prometo aos céus que se sair desta com vida, darei mais atenção a minha família, cuidarei da saúde, vou parar de beber, fumar e me tornarei um homem melhor.
Antes que eu perceba, porém, o avião já está no chão. O pouso foi perfeito. Encosto em mim, para ter certeza de que aquilo é real e de que eu permaneço intacto. Verifico todos os dedos da mão, o nariz e os poucos fios de cabelo que ainda me restam. Tudo confirmado. Ainda estou tão perfeito quanto antes de embarcar nesta viagem.
Quando vou buscar minhas malas, encontro minha mulher e os dois pequenos. Penso em dizer a eles, o quanto são importantes para mim.
“ - Vou direto para o bar encontrar com o Tuco. Beber alguma coisa, apostar outra.”
Eu sei. Estas não eram as palavras corretas. Mas eu já havia sobrevivido. E quem é que cumpre as promessas afinal?
 Inspiração: Um Caso de Burro – Machado de Assis

Oii galerinha linda, tudo bem???? Já comentei aqui uma vez, que haveria uma oficina de crônicas aqui na minha cidade. Claro que eu iria participar né??? Então aí está um dos resultados. Espero que tenham gostado. Um beijão 

E você, comentou nessa postagem? Copie e cole o link Aqui

21 comentários:

  1. Olá, Gih.
    Adorei o seu texto. Como tudo que você escreve, excelente! E a reflexão no final foi perfeita, nos faz questionar a nossas mentirinhas, as promessas não levadas a cabo.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de abril. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awon, muito obrigada pelos elogios :)
      Beijoos

      Excluir
  2. Oii!

    Eu adoro crônicas, comecei a escrever por causa disso. Participei de alguns concursos quando era mais nova e todos foram muito bons, e as crônicas bem recebidas. Continue escrevendo.

    beijos

    http;//mundo-restrito.blogspot.com.br
    @rs_juliete

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gih!
    Adorei o texto. Me fez pensar em algumas promessas que fazemos e deixamos de cumprir.
    Adorei a crônica, espero ver mais por aqui.
    Beijos

    Construindo Estante || Curta a fan page

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto, Gih, ainda mais saber que você se inspirou em um conto do Machado de Assis que eu tanto admiro.
    Não sou muito de crônicas, mas gostei bastante da sua.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  5. Oi Gih,
    O texto foi muito bem escrito, não sabia que você tinha esse talento também para crônicas! Adorei!!
    Traga mais pra gente viu! :)
    Beijos!

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ohhh obrigada minha linda. Trarei sim =D
      Beijooos

      Excluir
  6. Gih,
    vc escreve muito bem,amiga!
    Sempre me sinto desta forma no avião,
    gosto de estar pisando na terra!hahahahahah
    Muitas vezes deixamos de cumprir nossas promessas,
    mas para ser franca, nunca faço promessas!!!!!
    Bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Gih! ^^
    Adorei o texto! Depois que li a primeira linha não consegui parar de ler e como é uma crônica, foi muito rápido.
    Me imaginei na situação. Não sei se entraria em pânico ou se conseguiria manter a calma, mas por via das dúvidas não prometeria nada!! XD Essa de prometer e não cumprir pode dar problema depois! Vai saber! Hahahahahaha....

    Amanhã, 1º de Maio, tem promoção lá no blog. E-books gratis para baixar!
    Não deixe de conferir!
    Beijussss;
    https://facebook.com/BlogMenteHipercriativa
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. ah gi amei, como sempre amo seu trabalho.

    ResponderExcluir
  9. Eu adorei! Me diverti muito com ele, principalmente na parte que ele resolve rezar hehe. Faça mais dessa coluna, você escreve muito bem. Quanto ao que você me perguntou lá no blog sobre o livro da Julia, tem cenas hot sim. Não tem muito, mas tem. É tipo um romance de banca, só com uma história maior.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Sil :) , pelos elogios e pela resposta, heheh
      Um beijão

      Excluir
  10. Gostei muito da crônica! Você é ótima gih *--*
    Obrigada por comentar no meu blog!

    http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br/

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  11. Oi
    Ficou muito boa a crônica, fala sobre o medo e das promessas falsas.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Adorei a cronica, belas palavras.

    Beijos da Caca

    ResponderExcluir
  13. Oi! Adorei a crônica, é uma ótima reflexão! Realmente, na hora das dificuldades muitas vezes prometemos coisas que nem lembramos mais depois que passam. Triste isso! =/
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Caramba, Gih! Ficou perfeita! *-*

    Eu não imaginava que o final seria assim :/ Mas o pior é que acho que a realidade chega bem perto disso mesmo... A gente teme a morte, e quando dá de cara com ela pode fazer promessas... Promessas que nunca serão cumpridas...

    Bjs!

    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awon Jhon, fico muito feliz que tenha gostado e que eu tenha te surpreendido :)
      Um beijão

      Excluir
  15. Olá Gih!
    Amei o texto, achei ele muito divertido. E essa frase final foi simplesmente sensacional e verdadeira. hahaha
    Divirta-se na oficina de crônica ai em Montenegro. =D
    Beijos!

    ResponderExcluir