segunda-feira, 7 de julho de 2014

Criando diálogos

Olá pessoal. Hoje vou falar de uma coisa muito importante na criação de um livro: os diálogos.
Trouxe várias dicas bacanas que eu tenho certeza que irão te auxiliar na criação das falas dos seus personagens.

1. Evite diálogos de bate papo do facebook:
-Oi.
-Oi.
-Tudo?
-Tudo.
Esses diálogos desinteressantes que cansam o leitor. Ou só os crie se a ideia for essa. Mostrar o quanto aquela conversa não foi interessante.

2. Aqueles diálogos de uma palavra, em que um completa a frase do outro.
-Eu estive pensando...
-Eu também...
-Nós poderíamos...
-Sair?
Não é legal apenas um personagem falar e o outro ficar apenas ouvindo. Mas tome cuidado para um não interromper  o outro a todo momento. A menos que ele tenha um sério prolema de falar demais.

3. Torne os diálogos reais, mas não monótonos.
-Amor, você descasca as batatas?
-Porque você não descasca?
-Porque vou fazer minhas unhas.
-Você e suas unhas. Precisa mesmo pintá-las agora?
-Sim. Descasque para mim.
-Ok, sua bruxa.
Galera, embora o diálogo aconteça mesmo, na casa da maioria de nós, possivelmente trocando a palavra bruxa por outra menos romântica, o leitor provavelmente se sentirá chateado (no mínimo) por ler tal diálogo. Ou não. Eu até achei engraçadinho. Mas corte alguns diálogos que não desenvolvem a história;

4. Crie diálogos.
Os personagens falam. Um livro é feito de diálogos também. Eles ajudam a acelerar o andamento da sua história. Não erre pelo exagero. Mas não erre pela falta.

5.Crie outras formas de diálogo.
Troca de E-mail, mensagens no celular, também são boas opções de diálogos.

6. Características de um personagem.
Um diálogo, ajuda muito na descrição de um personagem. Através dele, você consegue deixar claro idade, sexo, classe social e até mesmo características emocionais do personagem. No lugar de longas descrições de como determinado personagem é ciumento por exemplo, você pode colocar um diálogo, mais ou menos assim:
-Você não acha essa saia muito curta?
-Amor, ela é a mais comprida que eu tenho.
-Então coloque uma calça.
Pronto. Já está claro para o leitor, que seu personagem é do tipo possessivo. Respeite também o estilo de cada personagem. Com moderação, você pode utilizar gírias e sotaques, para determinar as características dele.

7.Evite repetir nomes.
-Oi Paula.
-Oi Carla.
-Tudo bem com você Paula?
Naturalmente não repetimos tantas vezes, em um mesmo diálogo o nome de uma pessoa.

8.Cabeças falantes.
Vi esse termo em um site e achei interessante. Seria aqueles diálogos, onde os personagens falam, falam e não fazem nada. É importante ter uma reação, enquanto a conversa acontece. Mesmo que seja uma ação simples.
-Não fique assim amor. -disse ele, tirando a franja dos olhos da namorada.

9.Fuja dos diálogos clichês.
-Você deve ficar longe de mim.
-Porque?
-Eu sou perigoso. Já matei gente.
-Mas eu não tenho medo de você.
Já viu esse diálogo? Pois é! Eu também! Evite os diálogos de sempre.

10. Crie diálogos interessantes.
Crie diálogos engraçados, românticos, irônicos. Crie diálogos que fiquem na cabeça do leitor. Que ele tenha vontade de dizer algum dia. Por exemplo, quem nunca teve vontade de dizer: "Elementar meu caro" ? Então é isso.

11. Troque palavras.
Em um diálogo, não repita as palavras. Ele disse, eu disse, daí ele falou, daí eu disse. Busque novas palavras. Reclamou, desculpou-se, implorou, respondeu, perguntou são ótimas saídas das palavras comuns.

E você? Quais são as suas dicas para a criação de diálogos? O que mais te incomoda? Conte para a gente nos comentários.

7 comentários:

  1. Meus dilemas são exatamente nos diálogos. Sempre acho que eles são estúpidos demais. Se todo autor tem uma fraqueza, com certeza essa é a minha.
    Contudo, embora, entretanto, todavia, porém, não descansarei e sempre tentarei aperfeiçoar a técnica, nem que seja pra gerar um "regular" nas críticas.
    Abraço Gih.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É K.F todo escritor tem seu ponto fraco. O jeito é treinar mesmo. E aí se chega lá. Abraços

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Sou viciado em diálogos. Por isso prefiro escrever textos para teatro, com muita literatura pelo meio, é claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro diálogos, mas sabe que não consegui escrever uma peça ainda? E eu bem que tentei...
      Tem dicas para compartilhar com a gente?
      Caso queira até mesmo fazer uma postagem para o blog, basta escrever e me enviar por e-mail: profissaoescritor@gmail.com.br, junto com seu nome e uma mini biografia :)
      Abraços

      Excluir