sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Eu estive aqui por Fernanda Avellar


Título: Eu estive aqui
Autora: Gayle Forman
Páginas: 240
Ano: 2015
Editora: Arqueiro
Skoob
Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?
A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.
Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.
Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.


Minha opinião: Gayle Forman é autora dos best-sellers Se eu ficar e Para onde ela foi, além de outras obras de sucesso. Forman escreve suas obras com temáticas voltadas para o público jovem adulto e em Eu estive aqui aborda um tema complicado, amplo e doloroso: o suicídio.

A trama é narrada em primeira pessoa pela personagem Cody que é a melhor amiga de Meg, jovem de 19 anos que se suicidou em um quarto de motel ingerindo um veneno altamente letal. Ela programou o horário de envio dos e-mails, para que quando todos recebessem ela já estivesse morta.

A escrita de Gayle consegue de uma forma bem simples passar as emoções que todos os personagens
sentem durante todos os acontecimentos da obra.
Assim, como é nítido o sofrimento de Cody perante a morte de sua amiga, um misto de dor, saudade, raiva, indignação, dúvida, amor e outros sentimentos que permeiam o coração da jovem, até mesmo culpa.

Os pais de Meg pedem para que Cody viaje para a cidade em que a amiga morava para juntar todos os pertences e eis que Forman coloca pitadas de suspense no que tange o suicídio de Meg.

"Sinto a tentação de cheirar os lençóis. Se fizer isso, talvez seja suficiente para apagar tudo. Mas você só consegue prender a respiração até certo ponto. Em algum momento, terei que soltar o cheiro dela, então, vai ser como aquelas manhãs, em que acordo e me esqueço antes mesmo de lembrar". (p. 24)

Cody conhece os novos amigos de Meg e descobre que ela não sabia tudo sobre a amiga como imaginava, nem mesmo o envolvimento dela com Ben McCallister. Os pais de Meg dão para o Cody o notebook da amiga e ela acessa e faz buscas variadas para encontrar qualquer pista que a faça compreender o motivo que levou Meg a tirar sua própria vida e chega ao fórum do Solução Final, levando a trama ficar ainda mais envolvente.


As mais diversas perguntas passam pela cabeça de Cody, como: qual motivo levou Meg a se matar? Por que ela pediu ajuda para estranhos? Por que estar em outra cidade a transformou em alguém diferente? Em meio a tantas perguntas Cody necessita sair por de trás da sombra de Meg e tomar a sua própria personalidade.

"Certa tarde, estou me preparando para tomar banho depois do trabalho e, enquanto reviro o armário de remédios em busca de uma gilete nova, vejo um dos frascos enormes de Tylenol que  Tricia costuma comprar na farmácia. Graças à minha pesquisa, sei que Tylenol é uma forma terrivelmente dolorosa, mas barata, de se matar. Desliga o chuveiro. Vou para o meu quarto. Espalho os tabletes brancos na minha colcha. Eu deveria tomar quantos? Quantos eu consigo engolir de uma só vez? Como impedir que acabe vomitando tudo?" (p. 137).

Na obra alguns personagens ficam limitados e não é possível entender bem o real papel deles e a veracidade das informações, como exemplo, o envolvimento amoroso de Cody e Ben e a relação Cody com sua mãe Tricia. Porém, o foco central que é o suicídio devido à depressão, foi abordado com excelência.

Para concluir, achei espetacular no fim do livro a nota da autora expondo os motivos que a levaram escrever, Eu estive aqui, e se todos nós pudêssemos ajudar quem sofre de um mau tão grande e devastador como a depressão seria ótimo. A depressão é o grande inimigo da  saúde física e mental de quem a possui. Muitas vezes vem de forma silenciosa e nem os amigos íntimos percebem a carga que ela contém e infelizmente com a globalização e, a facilidade de acessar a Internet, pessoas ruins se aproveitam dos depressivos e criam grupos e fóruns de suicídios, até mesmo coletivos. Então super indico a obra e me tornei fã de Gayle Forman, não só pela escritora que é, mas, pela humanidade que carrega dentro de si.

E vocês? Conhecem alguém que sofra de depressão? Como ajudar e ser ajudado? Vamos partilhar as ideias e quem sabe possamos salvar vidas, pois, as vezes uma frase bem colocada muda o dia de uma pessoa. Grande beijo da Fê!!!

16 comentários:

  1. Oi Fe, tudo bem com vc?
    O tema desse um livro não é um dos que eu mais gosto de ler, pessoalmente falando. Ainda n li nd da Gayle Forman, mas começarei por Se eu ficar. Tenho um caso de depressão na família sim, a minha avó, que já vem de muito tempo...
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Eu estive aqui é a minha próxima leitura! Mesmo depois de ler várias resenhas maravilhosas, como a sua, ainda estou com um pé atrás quanto a obra. Só mesmo lendo pra saber se a Gayle é tudo o que dizem...

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Apesar de eu não ter grande curiosidade sobre a escrita da autora, por ele abordar o suicídio, algo bem polêmico, eu leria. Além disso, fiquei curioso para saber o que tem nesse tal arquivo criptografado.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  4. Olá Fê!
    Adorei a resenha. Nunca li nada desta autora, mas conheço os livros dela porque já vi pessoas lendo.
    A obra me parece ser bem interessante e tratar da depressão e suicídio de uma forma excelente.
    Eu já ajudei muita gente que estava em maus dias. Então acho que estou sempre fazendo a minha parte quanto a isso.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Fernanda!
    Sou fã da Gayle!! A escrita dela me conquistou em Se eu ficar e Para onde ela foi e espero ler este em breve! Gosto de livros com drama e que abordem esses temas sérios, pois sempre retiramos ensinamentos deles!!
    Parabéns pela leitura e resenha :)
    Beijos,

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Fernanda!
    Eu estou bastante curiosa para ler esse livro da Gayle, já que não tive tanto interessa pelos outros dois.
    Adorei a resenha.
    Beijos

    www.construindoestante.com || Curta a fanpage
    Esse é o mês de aniversário do blog! Participe da Promoção e do Top Comentarista

    ResponderExcluir
  7. Olha esse livro me tocou de uma forma que eu realmente não esperava, Fiquei até meio sensível enquanto lia. Porque a depressão é uma doença muito incompreendida pelas pessoas, quem nunca teve dificilmente vai entender como é passar por isso e, se a pessoa não recebe tratamento adequado as consequências podem levar ao óbito mesmo. O livro mostra o quanto é importante a busca do tratamento. Enfim, amei o livro, está entre os meus favoritos!


    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  8. eu ja li, mas sabe aquela história que te marca que você não consegue expressar bem em palavras?
    a autora tem o poder de tratar de questões tão forte com um jeito singelo, ao mesmo tempo que trabalha sentimentos em seus personagens, desperta reações no leitor!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Esse tema é de importância imensa mesmo, até porque os casos de depressão na atualidade tem sido numerosas, e muitas vezes nem mesmo os familiares sabem já que a pessoa se fecha em seu mundo. Tenho muita curiosidade em ler esse livro, só a sinopse nos transmite o mistério acerca do suicídio dela, e sua resenha então, ficou excelente, só me deixou com mais vontade ainda de ler! :D

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Uma curva no tempo", vem conferir!

    ResponderExcluir
  10. Gostei das fotos. Parabéns pela resenha. Abraços

    www.sociedadedolivrorp.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, Gih. Olá, Fernanda.
    O enredo do livro me lembrou muito A playlist de Hayden, mas o motivo lá era outro, o bullying. Eu li dois livros da autora até agora e gostei muito. Fiquei com vontade de ler esse também. A minha implicância com ele fica por conta da capa. porque tinham que fazer igualzinha a da outra editora?

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil. Também não curti por este motivo. Mas a capa é linda mesmo assim, hehehh
      Beijooos

      Excluir
  12. Olá Gih,

    Esse livro está na minha lista de desejados, só leio resenhas positivas e minha curiosidade só aumenta, só falta o money...kkk....bjs.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Eu vi o filme do livro da autora e amei, adorei a resenha

    ResponderExcluir
  14. Olá
    Já li Se eu ficar e Para onde ela foi da autora, e esse é o próximo livro dela que pretendo ler, muito lindo, amei.
    Bjocas

    ResponderExcluir
  15. Essa resenha me deixou com mas vontade ainda de ler.

    ResponderExcluir